Sign In
Início do conteúdo
​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​Sala de Imprensa​​​​​​

Newsletter​​​​​​

Seguro DPVAT pagou mais de 289 mil indenizações em 2019

Publicado em segunda-feira, 11 de novembro de 2019

Newsletter - 11/11/2019 - 106ª Edição

De janeiro a outubro de 2019, mais de 289 mil indenizações do Seguro DPVAT foram pagas às vítimas de acidentes de trânsito e seus beneficiários. O número é 7,7% maior do que o do mesmo período do ano passado. Os pagamentos para a cobertura de invalidez permanente representaram quase 67%, com 192.525 casos. Os reembolsos de despesas médicas (DAMS) chegaram a 62.577 pagamentos, enquanto as indenizações por morte somaram 34.018.

Todos os envolvidos no acidente de trânsito têm direito ao Seguro DPVAT, sejam motoristas, passageiros ou pedestres. E quando observado o perfil das vítimas em todo o Brasil, os motoristas representaram mais de 57% das indenizações, com 163.619 pagamentos. Em segundo lugar aparecem os pedestres, com 89.045 e, por último, os passageiros, com 36.456 indenizações e reembolsos pagos. As principais vítimas dos acidentes de trânsito são os jovens, entre 18 e 34 anos, que receberam mais de 134 mil indenizações. Destes, quase 70% adquiriram algum tipo de sequela permanente em decorrência do acidente de trânsito.

Os acidentes envolvendo motocicletas continuam representando a grande maioria das ocorrências indenizadas pelo Seguro DPVAT (77%), ultrapassando o número de 223 mil indenizações. Os motociclistas receberam mais de 65% destes pagamentos, com 145.759 indenizações pagas.

“A indenização do Seguro DPVAT tem caráter social e protege os mais de 210 milhões de brasileiros em casos de acidentes de trânsito, especialmente os de renda mais baixa, em um contexto de menos de 20% da frota brasileira segurada. De cada 10 carros na rua, só 2 tem seguro”, reforça Ismar Tôrres, Diretor-Presidente da Seguradora Líder.

O Seguro DPVAT é também uma importante fonte de receita para a União, dado que 45% é destinado para o Sistema Único de Saúde (SUS) para custeio da assistência médico-hospitalar às vítimas de acidentes de trânsito, e 5% para o Denatran (Departamento Nacional de Trânsito), para investimento em programas de educação e prevenção de acidentes de trânsito. De janeiro a outubro deste ano, a parcela destinada ao SUS totalizou R$ 852,4 milhões e, para o Denatran, R$ 94,7 milhões.

“O seguro é o único amparo econômico para grande parte da população de baixa renda depois de um acidente de trânsito. Vale considerar que mais de 20% das famílias brasileiras vivem com um orçamento mensal de até dois salários mínimos, de acordo com dados de 2019 do IBGE”,  destaca Ismar Tôrres.



​Mais artigos​